HomeGuia de viagem Mendoza

Guia de viagem Mendoza

vinhedos-mendoza-argentina-ifriend
Um guia de Mendoza completo para você!
0
(0)

Mendoza é uma cidade na região argentina de Cuyo e capital da província de mesmo nome. Situada ao leste da Cordilheira dos Andes, fica localizada a de mais de 700 metros acima do nível do mar.

É bastante conhecida pela produção de vinho, com passeios que combinam a ida às vinícolas com deliciosas degustações. Além disso, detém o título de cidade mais limpa do país.

Mendoza possui uma população de cerca de 150 mil habitantes. Já a província homônima conta com pouco mais de 1 milhão de moradores.

Histórico de Mendoza

A história de Mendoza inicia em março de 1561, quando foram estabelecidos os primeiros contatos dos espanhóis colonizadores com a região e seus nativos (que se deram de forma amistosa) ao longo de canais de irrigação naturais.

O nome da cidade foi uma homenagem ao importante militar espanhol García Hurtado de Mendoza, que delegou a Pedro de Castillo a responsabilidade de fundá-la. Logo ela se tornou a capital da província.

Grande parte de suas construções coloniais foi destruída em 1861 em decorrência de um intenso terremoto. A cidade foi reconstruída, tendo a Avenida San Martín como uma divisória entre a nova e a velha Mendoza.

A história da viticultura na região inicia ao mesmo tempo em que os primeiros assentamentos espanhóis acontecem, há quase 500 anos, quando as primeiras mudas de videiras foram levadas do Chile pelos Andes, através dos jesuítas.

Porém, foi apenas no século XIX, com a chegada dos imigrantes italianos, franceses e espanhóis, que houve uma guinada significativa na importância do vinho para Mendoza. Hoje, Mendoza é a principal região vitivinícola da Argentina, sendo responsável por cerca de 70% da produção da bebida no país.

Além de uma das principais produtoras de vinhos no mundo, Mendoza também figura como um excelente destino turístico, com ótima estrutura, hospedagem, gastronomia de alto nível e proposta cultural variada.

Por que visitar Mendoza?

Lago artificial no Parque General San Martín.
Foto: Wikimedia

Fuja do óbvio na terra dos hermanos

Fugindo dos roteiros mais tradicionais da Argentina, como Buenos Aires, temos Mendoza: destino versátil com dezenas de vinícolas para visitar e atividades ao ar livre.

Bem do lado da Cordilheira dos Andes, a cidade é ideal para os amantes de uma bela taça de vinho e dos esportes na neve – e mais razões para visitar Mendoza não faltam. Parques, teatros, museus, galerias de arte, cinemas, pubs, wine bars, baladas e cassinos. Essas e outras atrações artísticas e culturais encantam muitas pessoas que desejam fazer turismo na Argentina.

Conheça os principais pontos turísticos de Mendoza e curta ao máximo a sua viagem!

O micro centro concentra a maioria das lojas e shoppings. A Plaza Independencia é ponto de encontro e uma boa surpresa com árvores frondosas. O Parque General San Martín, um dos maiores do país, rende um belíssimo passeio. Os bares estão no boêmio Paseo Alameda e na Avenida Aristides Villanueva.

Outro atrativo muito procurado é o “Colosso das Américas” ou “Sentinela de Pedra”, como é conhecido o Cerro Aconcágua, a montanha mais alta das Américas, com 6.961 metros de altura. É a maior do mundo fora da Ásia e fica localizada no Parque Provincial Cerro Aconcágua, a 196 km de Mendoza. Ela é a meta de montanhistas em busca de desafio e da contemplação da natureza.

Seja para enoturistas ou ecoturistas, Mendoza é o destino certo para encontrar um programa fora do óbvio na terra dos hermanos.

O que fazer em Mendoza?

Plaza Independencia.
Foto: Flickr

A cidade reúne o que existe de melhor em enoturismo

Descubra o que fazer em Mendonza, a começar pelas vinícolas, que oferecem muito mais que degustações, mas um misto de história, cultura, arte, arquitetura, gastronomia e paisagens lindas, como a vista da Cordilheira dos Andes.

A cidade é responsável por 70% da produção de vinhos da Argentina e seu Malbec é celebrado como o melhor do mundo. Das mais de 1.200 vinícolas, mais de 100 estão abertas a visitação.

No entanto, o destino vai muito além dos rótulos premiados da bebida. Mendoza aposta em arte, arquitetura e passeios românticos. Os bares, cafés, teatros, cinemas e cassinos ficam abertos até tarde e os restaurantes têm comida típica saborosíssima, além de especialidades mediterrâneas e europeias.

Para te ajudar a gastar bem as suas 72 horas na cidade, fizemos um roteiro com o melhor da capital argentina do vinho. Confira o que fazer em Mendoza em três dias!

Primeiro dia

Comece o dia com uma caminhada no centro histórico de Mendoza com suas ruas arborizadas e praças monumentais. Uma bela forma de iniciar o passeio é pela Plaza Independencia, no coração da cidade. Nos arredores da praça, você pode visitar museus e o mercado municipal.

Viajantes em busca de enoturismo vão gostar de conhecer o Museu do Vinho. A Plaza Sarmiento e a Catedral de Mendoza também são pontos interessantes.

Visite também o Centro Cívico, com edifícios imponentes da administração da cidade, entre eles a prefeitura e o Palácio da Justiça.

Indicamos o Anna Bistró para o almoço, localizado nas proximidades da Plaza Independencia. A proposta da casa, de proprietários franceses, é adicionar um pequeno toque da culinária francesa aos tradicionais sabores argentinos.

Em seguida, vá para o Parque General San Martín, lugar lindo, sempre muito movimentado, excelente passeio para os dias de sol em Mendoza. São 400 hectares de muito verde, lagos, praças, chafariz, playground para crianças e área para piqueniques e churrascos.

A área do parque também abriga um zoológico, um Museu de Ciências Naturais e Antropológicas e um anfiteatro.

E não para por aí. Ainda tem o Estádio Provincial Malvinas Argentina, construído para a Copa do Mundo de 1978, a Universidade Nacional de Cuyo e até um clube de golfe.

Não deixe de subir ao Cerro de La Glória, localizado no centro do parque. Trata-se de um morro com um grande monumento e uma vista panorâmica da região.

A cidade conta com outro parque urbano, o Parque Central, bem menor e menos atrativo que o Parque General San Martín.

Segundo dia

No segundo dia, temos uma programação dedicada aos amantes do vinho.

A Pulenta Estate, em Luján de Cuyo (a 45 km sul do centro de Mendoza), é uma vinícola muito respeitada pelos críticos de vinho mundo afora e seus Malbecs são verdadeiros objetos de desejo. Ela possui o Certificado de Excelência do TripAdvisor e inúmeros elogios de seus visitantes.

A construção é pequena, tem arquitetura minimalista e a vinícola é comumente referenciada pela limpeza. O tour guiado inclui visita à bodega, passeio pelos vinhedos que cercam a propriedade e termina na sala de degustações.

O roteiro ainda tem um plus: os irmãos Pulenta, proprietários da vinícola, colecionam Porsches, portanto, se você é fã de carros, a visita é obrigatória.

Nas redondezas da Pulenta Estate, em meio à paisagem campestre de Luján de Cuyo, está localizado o Villa Mansa Wine Hotel & Spa. Uma boa dica é fazer uma pausa para o almoço. O restaurante do hotel serve pratos tradicionais da culinária argentina e possui carta de vinhos bem servida com rótulos da região, além de ter um terraço imperdível, onde é possível desfrutar de uma tarde bem gostosa.

Depois, é a vez de visitar a Viña Cobos, reconhecida mundialmente pela excelente qualidade de seus vinhos.

A vinícola tem arquitetura contemporânea belíssima e vista privilegiada do vulcão Tupungato, um dos picos mais altos da Cordilheira dos Andes. Dentro do prédio, existe uma pequena bodega de estilo antigo e tradicional. Ao final do tour, os visitantes podem escolher uma das cinco degustações temáticas, cuidadosamente guiadas por um dos seus enólogos – sugerimos participar da Colección de Terroir, na qual se degustam Malbecs dos quatro “crus” de Mendoza produzidos por Paul Hobbs, proprietário da vinícola e um dos maiores enólogos do mundo.

De volta a Mendoza, terá chegado a hora do jantar. O Azafrán Restó está sempre na lista dos melhores restaurantes da cidade e, portanto, merece tomar um tempo da sua noite. O lugar tem um ambiente rústico, aconchegante, linda decoração, atendimento impecável e comida de dar água na boca. No menu, novas interpretações de pratos tradicionais da culinária mendocina pelo renomado chef Pablo Ranea.

Terceiro dia

O seu último dia em Mendoza começa com uma visita à Bodega Dante Robino, uma ótima oportunidade para descobrir outra faceta dos vinhos argentinos, os vinhos com borbulha.

Fundada em 1920, a Bodega é o principal produtor de espumantes argentinos. Situada em Perdriel, no departamento de Luján de Cuyo, aos pés das Cordilheira dos Andes, integra a rota “Os caminhos do vinho” e recebe milhares de turistas todos os anos.

A visita inclui o tour pela adega subterrânea e o moderno Centro de Visitantes, onde você desfrutará de uma excelente degustação com a impressionante vista do Cordón del Plata. Imperdível!

Depois de mergulhar no mundo dos vinhos, que tal fazer um programa inusitado em Mendoza? Uma cervejaria! Na Mackeprang Cerveza Artesanal, além de conhecer o processo de fabricação dos mais diferentes tipos de cerveja, é possível comer petiscos como empanadas e embutidos ou almoçar.

Após um intenso dia de atividades, nada melhor do que relaxar na rua que concentra todos os bares e pubs da cidade, a Avenida Arístides Villanueva. O movimento nas largas calçadas da “Arístides”, como é popularmente conhecida a via, começa no fim de tarde. O clima é boêmio e as opções de bares são diversas – dos mais rústicos aos mais requintados. O passeio é bem comum entre os moradores e, para os turistas, não há melhor maneira de se despedir da cidade.

Quando visitar Mendoza?

Cerro Aconcágua

A capital argentina do vinho é uma viagem para todos os sentidos o ano inteiro

Mendoza oferece possibilidades de entretenimento para o ano todo. Uma boa notícia é que as vinícolas em Mendoza estão abertas à visitação nas quatro estações.

As temperaturas são semelhantes com as do Brasil. Entre dezembro e janeiro, as marcas dos termômetros podem alcançar os 40ºC. É bom escolher um hotel com piscina para se refrescar na volta dos passeios.

A desvantagem de visitar Mendoza no inverno (entre julho e setembro) é encontrar uma paisagem triste, com os vinhedos sem folhas e sem uvas.

As temperaturas mínimas chegam perto de 0°C nos meses mais frios do ano, com médias em torno de 10°C. Apesar disso, as estações de esqui só ficam abertas no inverno. Aposte na combinação vinhos e esqui, com alguns dias de hospedagem na estação de Las Leñas, a 370 km do centro da cidade.

A primavera e o outono têm temperaturas mais agradáveis, preços melhores de hospedagem e vagas menos disputadas nas degustações.

O verão é época de alta temporada em Mendoza. O fim do inverno, entre meados de agosto e setembro, é a baixa temporada.

Alta Temporada

  • Prós – É uma época animada, com as vinícolas trabalhando a todo vapor.
  • Contras – Os preços são mais altos neste período, portanto, reserve tudo com antecedência.  

Baixa Temporada

  • Prós – Com menor volume de turistas, as vagas são menos disputadas nas degustações das vinícolas e também em outros pontos turísticos.  Além disso, é um bom período para quem deseja economizar. 
  • Contras – O frio é intenso e pode causar algum desconforto, especialmente à noite. E mais… apesar de estarem abertas à visitação, nesta época, as vinícolas não atingem seu esplendor, como no verão.

Ecoturismo em Mendoza

Puente del Inca

Mendoza desconhece o tédio

Mendoza é uma cidade privilegiada por sua localização: aos pés da Cordilheira dos Andes, no coração dos vales Calchaquíes e Cafayate. Além disso, é muito arborizada e charmosa.

Destino para ecoturistas que não gostam de rotina e procuram a cada dia uma atividade diferente ao ar livre, Mendoza tem trekking, escalada, rafting, cavalgadas, entre outras.

Confira modalidades e lugares para fazer ecoturismo em Mendoza!

  • Cerro Aconcágua – Localizado na porta de entrada do Parque Provincial, o Aconcágua é considerado a montanha mais alta das Américas, medindo 6.961 metros.

Desperta o interesse de muitos turistas por se tratar de uma montanha alta e acessível. No entanto, por ser uma expedição longa, é bom ter tido experiências anteriores em outras montanhas mais baixas.

  • Tour Alto da Montanha – É uma caminhada de dois dias até a base do Aconcágua. A caminhada percorre Potrerillos, Uspallata, ponte Picheuta, Polvaredas, Paramillos, Punta Vaca, Cerro Tupungato, centro de esqui Los Penitentes, Puente del Inca (a 2.700 metros de altitude), com suas águas termais sulfurosas e radioativas, e o Mirador del Cerro Aconcágua. 
  • Centros de esqui – Afastados da cidade (a cerca de 150 km de distância), há diversos centros de esqui, não somente atrativos em termos da beleza, mas também por seus serviços e qualidade. Dois exemplos de boas estações de esqui são Las Leñas e Potrerillos.
  • Puente del Inca – É uma curiosa formação geológica, uma ponte natural sobre o Rio Caves, localizada a 183 km de Mendoza, encravada na Ruta 7. Olhando de longe, parece feita pelas mãos do homem. Mas ao se aproximar, é possível perceber que a paisagem em tons de ocre, marrom e amarelo é mesmo obra da natureza. O cenário é completado pela beleza da Cordilheira dos Andes. A Puente del Inca possui 48 metros de comprimento e 28 de largura.
  • Rafting no Rio Mendoza – O Rio Mendoza nasce a 2.600 metros de altura, na influência dos rios Cuevas e Vacas. O rafting no rio é uma atividade para aventureiros que desejam apreciar as montanhas ao redor enquanto curtem muita adrenalina. O Rio Mendoza é ideal para a modalidade.
  • Cavalgadas – Cavalgar pelos arredores de Mendoza é um dos melhores programas da região para apreciar as belezas naturais e, é claro, se divertir. Em um lugar isolado do trânsito e da vida urbana, o turista não polui o ambiente enquanto passeia a cavalo por entre riachos e a paisagem deslumbrante da cordilheira.

Gastronomia em Mendoza

Parrillada

Excelente destino para turismo gastronômico

A expectativa é alta quando se fala em comida argentina: excelentes cortes de carne, as melhores empanadas e vinhos de qualidade. A gastronomia em Mendoza segue praticamente as mesmas regras.

A parrillada, versão argentina do nosso bom e velho churrasco, é uma das comidas típicas da região. Geralmente, é acompanhada de saladas, uma vez que as carnes já são pesadas por si só.

As empanadas mendocinas são obrigatoriamente caseiras. A tradição regional determina que elas devem ser feitas dessa maneira porque a produção em grande escala poderia estragar as suas características únicas e especiais.

Os doces também são o forte de Mendoza. Você encontra vários doces em compota, como marmeladas e geleias de frutas. Uma vez na região, procure por alcayota, fruta típica que a partir dela são feitas várias sobremesas.

Além disso, o destino é conhecido por sua produção de azeites e uma experiência muito legal e que sai um pouco da rotina dos vinhos é visitar uma olivícola. Aproveite para apreciar os diferentes tipos de azeite, ver de perto como eles são feitos e levar para casa alguns produtos. Dentre as opções de olivícolas em Mendoza com visita e degustação, destaca-se a Olivícola Laur.

E quanto aos vinhos… ah, os vinhos! Você já sabe.

Restaurantes em Mendoza

  • Azafrán Restó -Av. Sarmiento 765, Mendoza
  • Anna Bistró -Avenida Juan B. Justo 161, Mendoza
  • Fuente y Fonda – Montevideo 675, Mendoza
  • Casa El Enemigo – Videla Aranda 7008, Maipú, Mendoza
  • Caché Bistró -Gral. Espejo 529, Mendoza
  • Pizzaiolo – Av. Sarmiento 631, Mendoza
  • Brindillas Restaurant – Guardia Vieja 2898, Luján de Cuyo, Mendoza
  • La Marchigiana – Patricias Mendocinas 1550, Mendoza
  • Magnolia Restó – Av. Arístides Villanueva 165, Mendoza
  • La Lucia Grill & Bar – Avenida Sarmiento 658, Mendoza

Hotelaria em Mendoza

Vista do centro de Mendoza.
Foto: Wikimedia

Confira opções de albergue e hotéis 5 estrelas na cidade argentina

Em geral, há duas opções de hospedagem em Mendoza. A primeira são os hotéis e hostels na parte central da cidade, com a vantagem de estarem próximos a casas de câmbio, agências de turismo e comércio. A segunda são as acomodações das próprias vinícolas, com vista mais que especial para os vinhedos.

Independente da sua escolha, vale ressaltar que não dá para contar com transporte público na cidade. As alternativas são basicamente se locomover de carro alugado, contratar um remis (taxis com preço fixo) ou fazer seus passeios com alguma operadora.

Veja algumas opções de hotéis em Mendoza!

Hotelaria em Mendoza

  • Chill Inn Hostel – Av. Arístides Villanueva 385, Mendoza
  • Tanino Guest House Olascoaga 29, Mendoza
  • Villaggio Hotel Boutique 25 de Mayo 1010, Mendoza
  • Park HyattChile 1124, Mendoza
  • Diplomatic Hotel – Av. Belgrano 1041, Mendoza
  • Sheraton Mendoza Hotel – Primitivo de la Reta 989, Mendoza

Passeios em Mendoza

Plaza Independencia.
Foto: Flickr

Fique por dentro dos pontos turísticos

Um dos mais famosos destinos de enoturismo do mundo, Mendoza possui, além das vinícolas mundialmente conhecidas, atrações imperdíveis.

A cidade oferece parques, mirantes, museus, arquitetura e gastronomia argentina que agradam a gregos e troianos. No entanto, em meio a inúmeros atrativos, há aqueles de visita indispensável.

Para te ajudar, fizemos uma seleção com os melhores passeios em Mendoza.

  • Plaza Independencia – É uma praça situada bem no coração de Mendoza, onde acontecem as feiras de artesanato, apresentações musicais, espetáculos de luz, teatro e onde há quiosques de alimentação.

O espaço é um verdadeiro ponto de encontro dos mendocinos, ideal para se integrar ainda mais com a cultura e com os costumes da população local. 

  • Parque General San Martín – O principal e mais antigo parque da cidade é incrível e possui uma grande área verde. Aberto todos os dias da semana e durante o dia todo, o Parque General San Martín é o ambiente ideal para praticar esportes ao ar livre.

O local tem lagos, chafarizes, parques infantis e uma área reservada para piquenique. Um espaço está dedicado para fazer churrasco, afinal os argentinos amam carne.

O zoológico é uma das atrações mais famosas, mas também é possível visitar o Museu de Ciências Naturais e Antropológicas, o Estádio Provincial Malvinas Argentina e Universidade Nacional de Cuyo, todos dentro do parque. Para os entusiastas de golfe, também existe uma área para os praticantes do esporte.

Como o parque é muito grande, existe a possibilidade de agendar um passeio em um ônibus panorâmico que leva os turistas em todos os pontos principais, até o Cerro de La Glória.

  • Cerro de La Glória – É um morro onde está o Ejército de los Andes, o mais famoso monumento local, uma homenagem aos 100 anos da travessia das Cordilheiras pelo exército em busca da independência da Argentina. 

O mirante fica dentro do Parque General San Martín. Subir por todo o parque até o topo é um excelente programa, pois a recompensa é uma vista panorâmica da cidade de Mendoza.

  • Paseo Alameda – É uma área arborizada, localizada em um trecho da Avenida San Martin, um ambiente perfeito para descansar. O local tem alguns parques infantis, biblioteca pública, restaurantes, cafés, bancas de flores, bares e comércio. 
  • La Enoteca – É o Museu do Vinho da cidade e é considerado um Patrimônio Histórico e Cultural. A Enoteca está instalada na antiga Escola Nacional de Vinicultura, local responsável por Mendoza ter se tornado um grande polo vinícola e que formou vários especialistas do país. 

Durante o tour, o visitante pode fazer degustações, conferir todo o processo de vinificação, além de conhecer a exposição permanente das principais vinícolas da região.

  • Mercado Central – Visitar o Mercado Central da cidade onde está viajando é uma das melhores maneiras de conhecer mais a fundo a cultura, os alimentos e as pessoas locais. 

O Mercado Central de Mendoza funciona desde 1883 e é definitivamente o melhor lugar para comprar de produtos frescos, orgânicos, grãos, especiarias, pães, peixes e queijos, além de lembranças para levar da viagem.

  • Vinícolas de Mendoza – Mendoza tem uma das maiores escalas de produção de vinho da Argentina: 70% dos vinhos produzidos no país vem dessa cidade, o que a torna uma das mais importantes áreas vinícolas do planeta. São milhões de garrafas produzidas por ano, que são vendidas e consumidas em todo o mundo. 

Mendoza também se destaca como destino de enoturismo, recebendo viajantes do mundo todo interessados em conhecer e apreciar de perto o universo mendocino do vinho.

Existem as mais diversas vinícolas espalhadas nos arredores, cada uma com a sua peculiaridade e arquitetura.

Na província de Mendoza, existem três principais regiões produtoras de vinhos: MaipúLuján de Cuyo e Valle do Uco. Cada uma delas é especializada em um certo tipo de vinho e de uvas, dependendo de fatores como solo, altitude e clima.

As vinícolas dessas regiões, principalmente as do Valle de Uco, costumam oferecer hospedagens próprias, o que torna a experiência mais fascinante.

Maipú é a menor das três regiões e fica a cerca de 20 km do centro de Mendoza.

Luján de Cuyo é uma região forte na produção de vinhos tintos, sendo conhecida como a terra do Malbec. Está a 18 km da cidade de Mendoza.

O Valle do Uco é a região produtora mais nova da província e também a mais respeitada internacionalmente. Abriga vinícolas imperdíveis mundialmente conhecidas pela produção de malbec, merlot, pinot noir, semillon e torrontés. É a mais distante do centro, a 100 km.

Quanto custa viajar para Mendoza?

Valle do Uco

Saiba quanto desembolsar para conhecer a cidade das vinícolas argentinas

Mendoza é uma cidade na região argentina de Cuyo e capital da província de mesmo nome. Situada ao leste da Cordilheira dos Andes, fica localizada a de mais de 700 metros acima do nível do mar.

A cidade é a mais importante do oeste e está localizada a 1.000 km da capital, Buenos Aires.

O Aeroporto Internacional Gobernador Francisco Gabrielli, mais conhecido como Aeroporto Internacional El Plumerillo, fica a 8 km do centro de Mendoza. Os ônibus da linha 60 fazem a rota e também há táxis disponíveis.

Para circular pelo centro, o melhor é caminhar, contando com táxis para vencer as distâncias mais longas. Já para visitar as vinícolas, é necessário estar com carro alugado ou comprar os passeios das agências.

  • Passagens – Opções a partir de: Rio R$ 1.267,00 e São Paulo R$ 1.106,00.
  • Aluguel de carro – Categoria econômica R$ 352,33 a diária / veículos SUV R$ 1.178,00 a diária (preço médio para no mínimo 3 dias).
  • Passeios – Visita a vinícolas com degustação: a partir de R$ 115,00 por pessoa. Rafting no Rio Mendoza: média de R$ 355,00 por pessoa. Tour Alto da Montanha: média de R$ 391,00 por pessoa.
  • Hospedagens – O preço de uma diária em quarto duplo, em hotel três estrelas, fica em torno de R$ 222,00 a R$ 589,00. Para se hospedar num local mais luxuoso, espere gastar a partir de R$ 1.014,00 por dia.

O tempo ideal para conhecer Mendoza é de cinco dias, especialmente para quem nunca foi lá. Estima-se que numa viagem de cinco dias para a cidade, na baixa temporada, é necessário ter na faixa de R$ 2.800,00 a R$ 3.800,00, exceto as passagens aéreas. Com esse valor, dá para fazer os principais passeios, se alimentar bem e se hospedar num local confortável.

iFriend: Guia de viagem Mendoza

Escolher um guia de viagem para acompanhá-lo em alguns passeios e roteiros pode ser a melhor opção para você aproveitar ao máximo a cidade.

Conheça os iFriends em Mendoza e divirta-se!

Mendoza, a capital do vinho da Argentina, espera sua visita!

iFriend. Find a Friend. Enjoy the ride.

O que achou?

Média 0 / 5. Votos: 0

Que tal?