HomeGuia de viagem Salta

Guia de viagem Salta

cabildo-salta-ifriend
Você vai adorar conhecer Salta neste guia completo!
0
(0)

Salta é uma cidade da Argentina, capital da província de mesmo nome, localizada a noroeste do país, em um amplo vale entre as montanhas.

Considerada uma das maiores cidades argentinas, possui mais de 500 mil habitantes.

Salta é ponto de partida para visitar as principais atrações turísticas da região, como os atrativos das províncias de Salta e Jujuy. Além disso, está próxima à fronteira com o Chile.

Histórico de Salta

A história de Salta remonta aos tempos pré-colombianos, mas foi durante a colonização que a região prosperou. Fundada em 1518, por lá passava a rota entre Buenos Aires e Potosí, na Bolívia, por onde circulava a prata extraída do famoso Cerro Rico de Potosí.

Salta, nessa época, se tornou um ponto de parada importante entre os dois destinos. Fruto disso é sua arquitetura colonial suntuosa, parcialmente preservada e famosa nos dias de hoje.

Com a separação do Vice-Reino do Peru (hoje Bolívia e Peru) do Vice-Reino do Rio da Prata (hoje Argentina, Uruguai e Paraguai), a cidade perdeu sua importância e entrou em um estado de letargia.

Após sua independência, em 1816, Salta foi arruinada economicamente e submergiu num período de decadência por boa parte do século XIX. Foi na década de 1890 que a cidade renasceu com a chegada da ferrovia e, então, vieram ondas de imigrantes espanhóis, italianos e árabes, e a economia ganhou novo vigor.

Atualmente, a história de Salta é vista e vivida nas principais atrações turísticas, tanto históricas (como museus, igrejas e o Cabildo) quanto manifestações folclóricas (como o desfile dos gauchos).

A chegada do trem também se mantém viva na memória dos saltenhos através do Tren a las Nubes, uma parte da ferrovia que atravessa a Cordilheira dos Andes. O passeio emblemático parte de Salta e segue por 217 km até o Viaducto La Polvorilla, a 4.220 metros sobre o nível do mar.

Hoje, as paisagens naturais de Salta ganham espaço no roteiro de muitos viajantes interessados em ecoturismo. Além disso, a cidadeé lar dos vinhedos comerciais mais altos do mundo, onde se produz vinhos de qualidade, inspirando os amantes da bebida.

Por que visitar Salta?

Cabildo de Salta.
Foto: Flickr

Salta é um paraíso natural com vida cultural diversa e agitada

A cidade de Salta proporciona uma excelente viagem para quem quer conhecer um pouco da cultura da Argentina, além de se manter rodeado de uma natureza incrível.

Há muito o que viver em Salta e isso inclui os passeios que retratam a história local, enoturismo em vinícolas, festivais andinos e uma gastronomia interessante. E não para por aí. Com diversas montanhas e parques nacionais, Salta é um destino para fazer trilhas e descobrir formações geológicas únicas, como a Quebrada de Las Conchas.

Para se locomover pela região, há opções como carro, táxi e ônibus. Como Salta é uma cidade pequena, a maioria dos pontos turísticos são acessíveis a pé, o que elimina a necessidade de transporte público.

Para quem quer conhecer a província e arredores, o carro é a melhor opção. Alugue um automóvel para ter a liberdade de explorar toda a região no seu tempo.

Se precisar de táxi, a maioria dos hotéis possuem o contato de empresas de táxi e chamam um motorista para seus hóspedes sem problemas.

O que fazer em Salta?

Tren a las Nubes.
Foto: Wikimedia

Roteiro de três dias na bela cidade do noroeste da Argentina

A linda cidade de Salta, ao leste da Cordilheira dos Andes, rodeada pelas montanhas verdes do chamado Vale de Lerma, possui um cenário singular. Ela se esconde a cerca de 1400 km da capital Buenos Aires em meio a uma natureza exótica, entre outros atrativos que chamam a atenção dos turistas para um destino argentino fora do convencional.

Seja subir montanhas ou caminhar por suas ruas tranquilas, não falta o que fazer em Salta. Mas se você vai ficar apenas 72 horas por lá, é legal que conheça os principais pontos turísticos.

Confira nosso roteiro de três dias em Salta!

Primeiro dia

Inicie sua viagem conhecendo o coração da cidade: a Plaza 9 de Julio, uma das marcas registradas desse destino argentino. Ela é uma agradável praça para passear e tirar fotos. Ao seu redor estão localizados o Cabildo e a Catedral de Salta, duas atrações importantes que valem a visita.

Em seguida, visite o Museo de Arqueologia Alta Montaña, também localizado na Plaza 9 de Julio. Ele possui uma grande relevância cultural para a cidade, além de ser um passeio muito interessante. O museu abriga diversos tesouros da civilização Inca, como as famosas múmias de crianças incas sacrificadas há milhares de anos.

Para o almoço, recomendamos o La Posada Restaurant, situado a uma curta caminhada a partir do museu. O cardápio é composto por massas frescas, carnes, comida criolla e outras delícias.

A três quarteirões da Plaza 9 de Julio, está o Parque San Martín. Ele possui uma extensa área verde, bancos para relaxar, um lago com animais e pedalinhos. Além disso, aos domingos acontece uma feira de artesanatos, onde é possível comprar souvenirs.

Em frente à Praça San Martín, você encontra um teleférico que leva até o Cerro San Bernardo, um morro que é o mais alto mirante de Salta, de onde é possível ter um visual fantástico de toda a região. Lá em cima, existem monumentos, lanchonetes, jardins e lojas de lembrancinhas. É possível subir até o Cerro San Bernardo a pé ou de carro, mas a opção mais divertida é, sem dúvidas, ir de teleférico.

À noite, você pode jantar no El Charrúa Restaurante y Parrillada e desfrutar de uma boa parrilla argentina, especialidade da casa. Os ravioles de salmão defumado não ficam para trás – tudo sempre merecidamente acompanhado de uma taça de vinho.

Segundo dia

Um passeio que deve estar no seu roteiro de três dias em Salta é o Tren a las Nubes, ou Trem para as Nuvens, um trem turístico que percorre pouco mais de 200 km por montanhas da Cordilheira dos Andes e atravessa paisagens deslumbrantes, desde morros verdes até desertos andinos.

É com ele que você vai começar o seu segundo dia na cidade argentina. O percurso inicia em Salta (1.200 metros de altitude) e termina no Viaduto La Polvorilla (a 4.220 metros). Durante o passeio você terá música ambiente no trem, comissários, filmes e um restaurante.

De volta à cidade, aproveite para dar uma volta no centro e conhecer algumas atrações que não teve tempo no dia anterior, como a Basílica e Convento de São Francisco. Essa igreja é uma das construções mais impressionantes de Salta, chegando a ser considerada cartão-postal, e fica próxima à Plaza 9 de Julio.

Apesar de Salta ser uma cidade pequena, sua vida noturna é agitada, por isso aproveite para curtir a noite durante a sua viagem. Nossa dica é que você conheça as peñas, bares onde acontecem apresentações de músicas típicas com cantores e bandas locais. A maioria delas está situada na Calle Balcarce, mas a mais famosa e tradicional, a La Casona del Molino, fica na Calle Luis Burela.

Além de assistir aos shows, vale muito a pena comer lá. Eles servem cortes de carnes, que são feitos na churrasqueira, e as típicas empanadas, acompanhadas de um bom vinho.

Terceiro dia

No seu último dia em Salta, a ideia é contratar um tour para ir até o vilarejo de Cafayate, a 180 km de distância, com uma parada na Reserva Natural Quebrada das Conchas. Vale a pena fazer o trecho com carro alugado também, pois a estrada é bem bonita.

Na primeira parada, a 90 km do centro de Salta, você verá uma série de formações rochosas que lembram a paisagem avermelhada do Grand Canyon, nos Estados Unidos. A Quebrada das Conchas é um acidente geológico produzido por movimentos tectônicos há milhões de anos que resultou nesse belo presente da natureza.

Ela fica ao longo da Rota Nacional 68, uma das mais famosas rotas cênicas do país.

Antes de continuar o seu trajeto, recomendamos que você faça uma parada no Parador Posta de las Cabras. Ele fica na Rota Nacional 68, no meio da estrada entre Salta e Cafayate. Nesse restaurante, você vai poder comer muito bem, além de descansar em espaços agradáveis. Não deixe de experimentar alguma das tortas caseiras ou alfajores.

Chegando em Cafayate, a simpática cidadezinha de 12 mil habitantes, você estará na segunda melhor região produtora de vinho da Argentina, atrás somente de Mendoza. A boa pedida é visitar alguma das vinícolas da cidade, entre elas El Esteco, Nanni e Domingo Hermanos. O destaque é o vinho branco, feito da uva Torrontés, apreciada em todo o mundo.

Cafayate tem um clima bem acolhedor e o seu centro está cheio de bons restaurantes, lojas de artesanato local e vinotecas, onde você pode comprar alguns dos vinhos produzidos na região.

Quando visitar Salta?

Quebrada de Las Conchas

A viagem é possível o ano todo, pois cada estação tem seu atrativo

Os meses mais indicados para ir a Salta são entre fim de fevereiro e metade de maio, quando a temperatura fica amena e há pouca previsão de chuva, garantindo o tempo ideal para passeios pelas montanhas.

Outra época boa para viajar para a cidade é entre fim de agosto e outubro, os meses mais secos do ano, mas não tão frios quanto junho e julho.

Há alguma possibilidade de neve no inverno e, mesmo nos meses mais quentes, as marcas dos termômetros tendem a cair à noite, portanto, lembre-se de levar agasalhos na mala.

A temperatura média mais alta em Salta é de 28°C, em janeiro. Junho é o mês mais frio, com média máxima de 19°C.

Os meses de férias escolares, dezembro a março (verão) e julho (inverno) compreendem a alta temporada na cidade. Junho é o mês de mais baixa temporada.

Alta Temporada

  • Prós – No verão, acontece a maioria das festas em Salta. As ruas ficam lotadas e tudo ganha mais vida. Indo no mês de julho, no inverno, a chance de pegar chuva é praticamente zero. A alta temporada é sempre uma época em que a cidade fica mais animada, repleta de pessoas novas.      
  • Contras – As chuvas são mais comuns no verão (dezembro a meados de fevereiro), portanto, se for viajar nessa época, corre o risco de ter que adiar alguns planos. Por outro lado, se for no inverno, o frio pode ser um incômodo. Outra desvantagem são os preços mais salgados, algo comum na alta temporada.  

Baixa Temporada

  • Prós – Com menor volume de turistas, fica mais tranquilo para visitar as atrações e não é preciso disputar espaço com outras pessoas. Além disso, é um bom período para quem deseja economizar. 
  • Contras – O frio é bem presente e pode causar algum desconforto, apesar de Salta não ter fama de ser uma cidade gelada. Por isso, vá bem agasalhado.

Ecoturismo em Salta

Salinas Grandes.
Foto: Flickr

Explore as atrações naturais da América do Sul

Salta é um destino repleto de montanhas, parques nacionais e formações geológicas, portanto, um lugar ideal para viajantes aventureiros em busca de desafios na natureza.

Para quem pensou que a terra dos hermanos era sinônimo apenas de tango e dulce de leche, agora sabe que a Argentina também tem destinos de ecoturismo que entregam muito.

Entre desertos, cascatas e até sal, confira seis lugares para fazer ecoturismo em Salta!

  • Cerro San Bernardo – O Cerro San Bernardo é uma colina que fica localizada na parte leste de Salta, a apenas 1 km do centro histórico. Por ser o local mais alto da cidade, a 284 metros de altitude, oferece uma vista incrível de todo o Vale de Lerma. 

Além da visão panorâmica a partir de seu teleférico, o Cerro San Bernardo conta com cafés e restaurantes. O local tem ao seu redor uma paisagem exuberante, com imensa vegetação, e algumas cachoeiras artificiais no topo do morro.

  • Quebrada de Las Conchas – Na Rota Nacional 68, entre as cidades de Salta e Cafayate, está a Quebradas de Las Conchas. Trata-se de uma formação geológica, conhecida por sua coloração vermelha e alaranjada.

Se você curte admirar e caminhar por marcos naturais, precisa conhecer esse lugar. Você descobrirá um anfiteatro de pedra, um grande obelisco, castelos e curiosas criaturas que foram esculpidas pela ação do vento.

  • Cerro de Los Siete Colores – No povoado de Purmamarca, fica uma das atrações naturais mais lindas e visitadas de Salta: o Cerro de Los Siete Colores, uma montanha que possui sete cores. Ela faz parte da Cordilheira dos Andes e o melhor momento para observá-la é durante a manhã, quando a luz interage com os minerais e faz suas cores ficarem ainda mais vivas. É uma das mais lindas visões de Salta.                              
  • Quebrada de Las Flechas – A Quebrada de Las Flechas é um monumento natural de mais de 15 milhões de anos. Las Flechas são formações geológicas pontiagudas que se formaram com o tempo e com a ação de placas tectônicas na região. Antes, havia um lago nesse local, mas, atualmente, tudo o que sobrou são as formações pontiagudas, que enfeitam a paisagem em um padrão impressionante.
  • Salinas Grandes – Localizada ao norte das províncias de Salta e Jujuy, as Salinas Grandes são o segundo maior deserto de sal do planeta e uma parada imperdível para quem curte ecoturismo e atrações fora do comum.

A crosta de sal com cerca de meio metro de espessura que forma Salinas Grandes é o resto de um lago que se secou há milhares de anos. Hoje, a planície branca e salgada é uma paisagem hipnotizante.

A área de 12 mil hectares é cortada pela bela rota 52, que liga a Argentina ao Deserto do Atacama. No caminho até Salinas Grandes, você vai ter a chance de ver lhamas, vicunhas, condores e suris, animais típicos dos Andes.

  • Parque Nacional Los Cardones – O Parque Nacional Los Cardones é uma área protegida na província de Salta, repleto de “cardones”, uma espécie de cacto típica dessa parte da América do Sul (e também do Chile e Bolívia). São milhares de cactos cardones, alguns deles com mais de 400 anos de vida. Existem vários mirantes incríveis dentro do parque, com trilhas curtas cheias de placas explicativas. 

Gastronomia em Salta

Empanada – Gastronomia em Salta

As empanadas saltenhas são consideradas as melhores da Argentina

Além da boa estrutura para o turista, Salta é caracterizada por uma rica gastronomia regional. Sua cozinha é um mix tradições que combina diferentes culturas, como andina, espanhola e indígena, posteriormente surgidas na Argentina e mais propriamente na região.

A culinária local é composta basicamente de ensopados, carnes (feitas na tradicional parrilla), pratos que levam milho, feijões, tomates e batatas, e as empanadas, grande protagonista da gastronomia em Salta e as mais saborosas do país.

O menu não termina por aí. Os fãs de doces podem provar bolos típicos, como o Pasta Real, e compotas de frutas da região.

Para beber, os renomados vinhos produzidos na cidade de Cafayate, que harmonizam perfeitamente com a gastronomia em Salta. Entre as vinhas brancas, o Torrontés, e entre as tintas, Cabernet Sauvignon, Malbec, Tannat, Bonarda e Tempranillo.

Restaurantes em Salta

  • El Charrúa Restaurante y Parrillada -Caseros 221, Salta
  • Don Salvador -Vicente López 146, Salta
  • La Criollita – Zuviria 306, Salta
  • La Casona del Molino – Cnel Luis Burela 1, Salta
  • La Posada Restaurant -Caseros 263, Salta
  • El Buen Gusto – O’ Higgins 575, Salta
  • Cocina Andina de José Balcarce – Necochea 594, Salta
  • Doña Salta – Córdoba 46, Salta  
  • La Cefira – Córdoba 481, Salta
  • Trattoria Mamma Mia – Pje. Zorrilla 1, Salta  

Hotelaria em Salta

Uma boa alternativa é se hospedar nas proximidades da Plaza 9 de Julio.
Foto: Flickr

Saiba onde se hospedar na cidade argentina

Salta não é uma cidade grande e, por isso, os hotéis se concentram no centro e não existe uma diversidade de bairros para você escolher.

No centro da cidade, estão os principais restaurantes, lojas, bares e agências de turismo. O visitante tem acesso a muitas atrações a pé. Uma boa opção é se hospedar ao redor da Plaza 9 de Julio, praça principal da cidade, onde estão concentradas as atividades turísticas, a cultura e a gastronomia de Salta. Com uma curta caminhada, é possível chegar a importantes pontos turísticos saltenhos.

Nós selecionamos alguns hotéis em Salta para ajudar na sua escolha. Confira!

Hotelaria em Salta

  • Ayres de Salta Hotel – Gral. Martin Güemes 650, Salta
  • Hotel Salta Buenos Aires 1, Salta
  • Kkala Boutique Hotel Las Higueras 104, Salta  
  • Solar de la PlazaJ. M. Leguizamon 669, Salta  
  • Hotel Almería – Vicente López 146, Salta  
  • Hotel San Francisco – Caseros 160, Salta  

Passeios em Salta

Basílica e Convento de São Francisco

A terra dos hermanos como você nunca viu

Além das belezas naturais que cercam Salta, a cidade colonial é um convite a realizar um passeio arquitetônico por épocas passadas. Há diversos pontos turísticos que retratam bem a rica história e cultura locais e que merecem ser visitados.

Veja, a seguir, seis passeios em Salta!

  • Centro histórico – O lado histórico de Salta é um charme só e isso é bem refletido em seu centro histórico. Com diversas construções que remontam à época colonial da Argentina, além de praças e igrejas que contam um pouco desse período, o centro da cidade é um lugar muito bonito e interessante para visitar. Não deixe de visitar a Plaza 9 de Julio, o Cabildo e a Catedral de Salta.
  • Museo de Arqueologia Alta Montaña – O Museu de Arqueologia de Alta Montanha, localizado no centro da cidade, apresenta coleções relacionadas ao patrimônio arqueológico associado às cerimônias realizadas nos altos picos dos Andes. Os principais objetos desse museu são o Niños de Llullaillaco, três múmias de crianças incas encontradas no cume do Vulcão Llullaillaco. 
  • Basílica e Convento de São Francisco – Próximo à Plaza 9 de Julio, está a Basílica e Convento de São Francisco, um daqueles passeios em Salta para quem curte história e construções imponentes. Erguida no século XVII, essa igreja passou por diversas obras até ser considerada o cartão-postal da cidade. Possui um estilo arquitetônico romântico e uma das torres mais altas do continente, com aproximadamente 54 metros de altura.
  • Parque San Martín – Funcionando como pulmão verde da cidade, o Parque San Martín possui uma ampla área com árvores, estacionamento e ótimos locais para passeios em Salta. Dentro do parque também está localizado o Museu de Ciências Naturais e o teleférico, que leva ao alto do Cerro San Bernardo.

O parque possui um lago com patos e pedalinhos, espaços para praticar esportes e também para fazer um piquenique.

  • Tren a las Nubes – O Tren a Las Nubes, ou Trem para as Nuvens, é um passeio emblemático entre as montanhas da Cordilheira dos Andes, que parte de Salta e segue por 217 km até o Viaducto La Polvorilla, a 4.220 metros sobre o nível do mar.

Atualmente, é possível embarcar em dois roteiros, que combinam trem e ônibus ou apenas o trecho ferroviário.

O primeiro, que inclui trajetos de ônibus e trem, tem saída da cidade de Salta, passando por locais como Campo Quijano, Gobernador Solá e El Alfarcito, onde os passageiros são recebidos com um café da manhã rural. A viagem segue até San Antonio de los Cobres, onde é feito o embarque no trem, até o clássico Viaducto la Polvorilla. Esse último trajeto tem duração de uma hora.

A outra opção é a viagem apenas de trem, cujo percurso começa na Estación de Trenes de San Antonio de los Cobres e vai até o Viaducto la Polvorilla.

Ambos os roteiros passam por diferentes e lindas paisagens. Para a primeira opção, reserve um dia inteiro.

  • Calle Balcarce – A região de Calle Balcarce é um dos melhores lugares para aproveitar a vida noturna em Salta. Desde bares e boates até festas ao ar livre, há diversas alternativas para se divertir por lá. Também há muitos restaurantes, cafés, lojas e, é claro, turistas.

Quanto custa viajar para Salta?

Calle Balcarce.
Foto: Flickr

Salta é um destino único

Salta é uma cidade da Argentina, capital da província de mesmo nome, localizada a noroeste do país, em um amplo vale entre as montanhas.

Salta fica a mais de 1.400 km da capital Buenos Aires, bem pertinho da fronteira com o Chile e faz parte da Cordilheira dos Andes. Por conta da sua localização, ela acaba sendo rota para quem vem de viagem da Bolívia, da Patagônia, do Atacama e também de Buenos Aires.

Não há voos diretos entre Salta e o Brasil, mas algumas companhias aéreas possuem serviços saindo de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre com conexão em Buenos Aires.

  • Passagens – Opções a partir de: Rio R$ 1.393,00 e São Paulo R$ 1.270,00.
  • Aluguel de carro – Categoria econômica R$ 361,00 a diária / veículos SUV R$ 775,00 a diária (preço médio para no mínimo 4 dias).
  • Passeios – Ingresso para Trem a las Nubes custa $ 11.750,00. A excursão de dia inteiro para as Salinas Grandes custa a partir de R$ 192,00.
  • Hospedagens – O preço de uma diária em quarto duplo em hotel três estrelas, na baixa temporada, fica em torno de R$ 122,00 a R$ 431,00. A mesma hospedagem pode subir de R$ 241,00 para R$ 535,00 na alta temporada.

O tempo ideal para conhecer Salta é de cinco dias, especialmente para quem nunca foi lá. Estima-se que numa viagem de cinco dias para a cidade, na baixa temporada, é necessário ter na faixa de R$ 2.800,00 a R$ 3.800,00, exceto as passagens aéreas. Com esse valor, dá para fazer os principais passeios, se alimentar bem e se hospedar num local confortável.

iFriend: Guia de viagem Salta

Escolher um guia de viagem para acompanhá-lo em alguns passeios e roteiros pode ser a melhor opção para você aproveitar ao máximo a cidade.

Conheça os iFriends em Salta e divirta-se!

Salta, o belo destino isolado da Argentina, espera sua visita!

iFriend. Find a friend, enjoy the ride.

O que achou?

Média 0 / 5. Votos: 0

Que tal?